Aplicativos nativos da nuvem o que eles significam

Veja algumas informações sobre aplicativos nativos da nuvem o que eles realmente significam. Muitas empresas estão se concentrando em um tipo específico de design de implantação de aplicativos. Tudo isso, para usar com mais eficiência a nuvem e os processos como por exemplo, o DevOps.

Aplicativos nativos da nuvem o que eles significam

Fale com qualquer pessoa na comunidade de DevOps e as palavras: nativas da nuvem, aparecerão repetidamente. Se você é novo no mundo da integração contínua e entrega contínua, pode ter ouvido a frase – criar aplicativos nativos da nuvem. Então vamos ler a seguir o que significa este tipo de aplicativos nativos.

O que significa aplicativos nativos da nuvem?


Em sua forma mais básica, aplicativos nativos da nuvem são uma coleção de serviços pequenos, independentes e de baixo acoplamento. Eles são projetados para oferecer um valor comercial bem reconhecido , como a capacidade de incorporar rapidamente o feedback do usuário para melhoria contínua.

Os aplicativos nativos da nuvem contêm elementos-chave. As equipes de DevOps adotam uma abordagem de design de microsserviços e orquestram esses serviços em contêineres. Para fornecer esses aplicativos e vários microsserviços, o DevOps aproveita a automação e a entrega contínua. Eles são construídos na nuvem, desenvolvidos para a nuvem e implantados na nuvem.

O resultado? Os aplicativos nativos da nuvem são compostos de blocos tolerantes a falhas que permitem agilidade e podem ser entregues e iterados rapidamente.

Você também pode ver como a Cloud Native Computing Foundation define aplicativos nativos da nuvem:

As tecnologias nativas da nuvem capacitam as organizações a criar e executar aplicativos escalonáveis ​​em ambientes modernos e dinâmicos, como nuvens públicas, privadas e híbridas. Contêineres, malhas de serviço, microsserviços, infraestrutura imutável e APIs declarativas exemplificam essa abordagem.

Essas técnicas permitem sistemas fracamente acoplados que são resilientes, gerenciáveis ​​e observáveis. Combinados com a automação robusta, eles permitem que os engenheiros façam alterações de alto impacto com frequência e previsibilidade, com o mínimo de esforço.

O que é necessário para este tipo de aplicativo?

Então, por que tudo isso é tão importante? Como desenvolvedor, você precisa entender os conceitos básicos dos aplicativos nativos da nuvem, caso queira criá-los. Para guiá-lo, há alguns tópicos que vamos ver:

  1. Resiliência. Aplicativos nativos da nuvem precisam garantir serviços, não importa o quê. Os desenvolvedores precisam arquitetar os aplicativos para falhas. Assuma o pior.
  2. Serviços reutilizáveis. Serviços de arquitetura para que possam estar em aplicativos e por outros serviços. Isso também exigirá que você tenha contratos de interface e mecanismos de descoberta.
  3. Escalabilidade. A escalabilidade horizontal é fundamental para funcionar de forma eficaz. Certifique-se de que os recursos subjacentes de computação, armazenamento, banco de dados e rede, bem como a lógica do aplicativo, suportem o dimensionamento para várias instâncias de serviços para atender à demanda.

Os Apps nativos da nuvem exploram o mundo da tecnologia em nuvem. Do mesmo modo, sendo projetados especificamente para funcionar em um ambiente de nuvem. Os benefícios inerentes da escalabilidade e resiliência tornam a migração para aplicativos nativos da nuvem uma proposta atraente para os desenvolvedores.

O mundo e a criação destes Apps

A criação de aplicativos nativos da nuvem pode ser um processo intenso que requer uma variedade de ferramentas. Entre eles, eles exigem uma abordagem de DevOps, na qual as necessidades de desenvolvedor e de operações são alinhadas e complementares.

O Dev e o Ops colaboram, com a infraestrutura e as ferramentas que suportam o desenvolvimento de pilha completa, na qual os desenvolvedores podem codificar, criar, testar e implementar a produção sem dependências inter-funcionais.

A tecnologia também requer microsserviços. Os microsserviços individuais tendem a ser menores e mais gerenciáveis ​​do que os aplicativos tradicionais. Enquanto a comunicação entre os serviços, bem como o gerenciamento do ciclo de vida dos serviços, pode ser complexa e desafiadora.

Se você faz parte de uma equipe e precisa suportar o desenvolvimento de aplicativos nativos em nuvem no ambiente corporativo, está disponível o CD CloudBees Core for Kubernetes. E além disso, estende o Jenkins X com uma interface gráfica, controle de acesso aprimorado e recursos adicionais no nível corporativo.

A propósito, não fique muito preso ao termo microsserviços. O que é importante é a agilidade geral e a capacidade de manutenção dos aplicativos. Conforme fornecido por meio de um processo de DevOps usando integração contínua e entrega contínua. Isso, por sua vez, tende a levar a serviços modulares e fracamente acoplados cujas dependências são definidas explicitamente.

0 Comments

There are no comments yet

Leave a comment